Correio Feirense - O portal de Notícias de Feira de Santana - Bahia

OFERECIMENTO

Menina se destaca entre garotos na Super Copa de Futebol Sub 15

Publicada em 25/05/2015 ás 21:55:58

Ana Franciele

 Logo na estréia, ela perdeu um gol que poderia render-lhe a uma vaga de titular no time que nenhum atacante quer estar: a do Inacreditável Futebol Clube. Ela? Ana Franciele, 12 anos, ocupa o lado esquerdo do ataque do Futebol Anchieta Clube, e é a única menina no meio de mais de 300 meninos que estão disputando o título da Super Copa Feira de Santana de Futebol Sub 15, que foi iniciada domingo.

Mas a falha não preocupa tampouco desanima a atacante. Sabe que terá outra chance para mostrar todo o seu potencial. O seu time venceu o Monsenhor por 2 a 0. E outra preocupação que não tira a vontade de jogar é o fato de ser a única menina no batalhão de meninos. “A minha preocupação é jogar bem e, se der, marcar gols”, diz.
 
Pequena, franzina e meiga – parece ter menos da idade que tem, Franciele se define como uma atacante habilidosa, que parte sem medo para cima dos zagueiros. Os cinco gols que já marcou no Campeonato do Feira VI – quatro apenas em uma partida, onde também é a única menina em campo. A quantidade de gols poderia render-lhe uma premiação: pedir uma música por ter marcado quatro vezes. O Inacreditável Futebol Clube e a música são promovidos pela Rede Globo.
  
A boa atuação no Feira VI rendeu-lhe o convite do boleiro Michelinho, lendário treinador do Flamengo, equipe feminina feirense várias vezes campeã baiana, para participar de treino no time. Será um teste para ser observada. Mas está sendo considerado um convite e tanto.
 
Franciele, que tem como ídolo a atacante Marta, da Seleção Brasileira e cinco vezes considerada a melhor jogadora do mundo, disse que joga futebol nas equipes masculinas desde 2010, tem o apoio irrestrito de uma senhora que literalmente veste a camisa do time e grita o tempo todo ao lado do campo: a mãe, Jociana Cardoso, que treina o time. “Nós a apoiamos incondicionalmente”, diz. “E ela não joga bem?”, baba, a mãe. É, a menina joga muito bem.
 

 

Autor/ Créditos: Jorge Magalhães

 

Leia Também