Correio Feirense - O portal de Notícias de Feira de Santana - Bahia

Feira de Santana Segunda , 22 de Maio de 2017
OFERECIMENTO

Arrombador com vários inquéritos instaurados e liberado em audiência de custódia é preso mais uma vez

Publicada em 16/04/2017 ás 15:18:12

Leo Rasta

Leonardo Silva do Rosário, 30 anos, conhecido no meio policial como: ”Leo Rasta” foi preso na noite deste sábado (15/04), por Policiais Militares da 66ª Companhia Independente da Policia Militar (66-CIPM), após ter praticado mais um arrombamento em Feira de Santana.


A prisão de Leonardo aconteceu após os militares serem acionados pela Central 190 dando conta de que o alarme de um estabelecimento comercial, situado na Rua Venezuela, Bairro Capuchinhos havia disparado. Os policiais da 66-CIPM se deslocaram até o local para averiguar e ao chegar flagraram Leo Rasta carregando uma televisão e um celular. Ao proceder a abordagem de rotina no suspeito ele confirmou que havia subtraído a TV e o celular da empresa que ele havia acabado arrombado.


De imediato compareceram: o proprietário do estabelecimento bem como a equipe da empresa que monitora o estabelecimento. Leonardo e os produtos furtados foram apresentados na Central de Flagrantes, no Bairro do Sobradinho, para adoção de medidas cabíveis.


“Tenho certeza que ele vai ser liberado mais uma vez. Depois que a justiça vem dando esse direito a esse criminosos dessa tal de audiência de custódia eles não ficam mais presos. Eu só queria saber quando é que eles vão ficar presos é quando matar alguém? Esse individuo pelo que eu fiquei sabendo aqui na delegacia foi preso mais de cinco vezes nos últimos 30 dias e liberado; isso é um absurdo; e cadê os nossos direitos de cidadão? Eles cometem crimes nos dão prejuízos materiais e psicológicos e ganham a liberdade e voltam a cometer os mesmos crimes; isso é que é correto” observou uma das vitimas de Leo Rasta. 


PRISÕES DE LEONARDO - Leonardo Silva do Rosário foi preso também na noite do dia 20 de março, por Policiais Militares da 67ª Companhia Independente da Policia Militar (67-CIPM), após ter praticado um arrombamento na Avenida Maria Quitéria.


A prisão de “Leo” aconteceu em uma residência abandonada, na Rua Rio Itapemirim, Bairro irmã Dulce, após os militares o ter monitorado através de aparelho celular iPhone, que tinha acabado de ser furtado, no interior da empresa Ciplanta Floricultura, na Avenida Maria Quitéria.
 
De acordo com o Tenente Monte Nero, da 67-CIPM, comandante da guarnição que efetuou a prisão de Leonardo, o arrombador tentou escapar, mas foi pego e autuado em flagrante.


Nos últimos 30 dias, Leonardo arrombou a Igreja Internacional da Graça de Deus, que fica situada na Avenida João Durval Carneiro por três vezes onde o mesmo levou: um Notebook Apple avaliado em R$ 2.500,00, UM APARELHO Celular Motorola, cerca de R$ 3.800,00 em dinheiro, e uma bolsa contendo joias diversas da esposa do pastor da igreja.

             Imagens das câmeras de segurança da Igreja flagradas no dia 15 de março.


AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA - A audiência de custódia é o instrumento processual que determina que todo preso em flagrante deve ser levado à presença da autoridade judicial, no prazo de 24 horas, para que esta avalie a legalidade e necessidade de manutenção da prisão.


A previsão legal encontra-se, desde muito, em tratados internacionais ratificados pelo Brasil. Com efeito, o art. 7º., 5, do Pacto de São Jose da Costa Rica ou a Convenção Americana sobre Direitos Humanos reza: "Toda pessoa presa, detida ou retida deve ser conduzida, sem demora, à presença de um juiz ou outra autoridade autorizada por lei a exercer funções judiciais e tem o direito de ser julgada em prazo razoável ou de ser posta em liberdade, sem prejuízo de que prossiga o processo. Sua liberdade pode ser condicionada a garantias que assegurem o seu comparecimento em juízo." No mesmo sentido, o art. 9º., 3 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos de Nova York.


A audiência será presidida por autoridade que detém competências para controlar a legalidade da prisão. Além disto, serão ouvidas também as manifestações de um Promotor de Justiça, de um Defensor Público ou de seu Advogado. O preso será entrevistado, pessoalmente, pelo juiz, que poderá relaxar a prisão, conceder liberdade provisória com ou sem fiança, substituir a prisão em flagrante por medidas cautelares diversas, converter a prisão em preventiva ou ainda analisar a consideração do cabimento da mediação penal, evitando a judicialização do conflito, corroborando para a instituição de práticas restaurativas.
 

Autor/ Créditos: Jorge Magalhães